O que é Kibar? Palavra é usada na internet e principalmente nas redes sociais | Seletronic
Quero Ofertas Quero Cupons

O que é Kibar? Palavra é usada na internet e principalmente nas redes sociais

Kibar na Internet: Compreendendo o Termo e sua Origem

- 6 min de leitura
O que é Kibar? Palavra é usada na internet e principalmente nas redes sociais
Google News Telegram

Na era digital, onde a comunicação online é cada vez mais comum, surgem também diversos termos e gírias que permeiam o universo da internet. Um desses termos é “kibar“, utilizado para descrever a prática de copiar ou plagiar o conteúdo de outras pessoas sem dar os devidos créditos. Nesta matéria, vamos explorar o significado do termo “kibar” na internet, bem como sua origem.

O que é kibar?

Kibar é um verbo originário do jargão da internet que se refere à ação de copiar ou se apropriar indevidamente do conteúdo criado por outra pessoa. Isso pode incluir textos, imagens, vídeos, memes, músicas, entre outros tipos de produções digitais. O indivíduo que pratica o ato de kibar é chamado de “kibador“.

Essa prática é amplamente condenada, pois viola os direitos autorais e éticos relacionados à propriedade intelectual. Quando alguém kiba um conteúdo, está infringindo a autoria e não atribui o devido reconhecimento ao criador original. É importante respeitar os direitos dos criadores e buscar a permissão adequada antes de reproduzir ou compartilhar algo na internet.

A Origem do Termo “Kibar”

A popularização do termo “kibar” na internet tem relação com o site “Kibe Loco“. O Kibe Loco foi um site de entretenimento brasileiro que ficou famoso por compartilhar conteúdos divertidos, engraçados e curiosos da internet. O termo “kibar” começou a ser associado ao site devido à prática recorrente de compartilhamento de conteúdo de outros sites sem dar os devidos créditos.

O site Kibe Loco, em seus primeiros anos, ganhou notoriedade por reunir e compartilhar viralizações da web, muitas vezes sem mencionar a fonte original. Essa prática acabou sendo denominada pelos usuários como “kibar”, em referência à apropriação do conteúdo sem atribuir os créditos devidos.

Portanto, o site Kibe Loco desempenhou um papel importante na popularização do termo “kibar” na cultura da internet brasileira. Embora o termo seja utilizado de forma mais ampla hoje em dia, sua origem está relacionada a essa prática específica de compartilhamento de conteúdo sem atribuição correta.

Há quem diga também que o termo “kibar” remonta aos primórdios da internet, mais especificamente à década de 90. Acredita-se que o termo tenha surgido na comunidade hacker brasileira, principalmente nos fóruns e salas de bate-papo frequentados por esses entusiastas da tecnologia. Segundo esse ponto de vista o termo “kibar” é uma apropriação do termo em inglês “to kibitz“, que significa intrometer-se ou dar palpites indesejados em uma conversa. Com o tempo, esse termo foi adaptado pelos brasileiros e passou a ser usado para se referir à prática de copiar conteúdos na internet sem dar créditos aos autores originais.

Embora seja utilizado principalmente no Brasil, o conceito de kibar conteúdos é conhecido e repreendido em diversas comunidades virtuais ao redor do mundo.

As “Kibadas” nas redes sociais

O ato de “kibar” pode ocorrer em diversas plataformas e redes sociais, incluindo Twitter, Instagram, TikTok, Facebook e outras. Aqui estão alguns exemplos de como o kibar pode ser feito em cada uma dessas plataformas:

  1. Twitter: No Twitter, o kibar pode ocorrer quando alguém copia um tweet original de outra pessoa e o publica como se fosse seu, sem mencionar a fonte ou dar créditos ao autor original. Isso pode incluir textos, imagens, vídeos ou qualquer outro tipo de conteúdo compartilhado na plataforma.
  2. Instagram: No Instagram, o kibar geralmente envolve o uso indevido de imagens ou vídeos postados por outros usuários, sem a permissão ou a atribuição correta. Alguém pode salvar a imagem de outra pessoa e postá-la em sua própria conta, fingindo que é seu próprio conteúdo.
  3. TikTok: No TikTok, o kibar pode ocorrer quando alguém copia um vídeo originalmente criado por outro usuário e o publica em sua própria conta, sem mencionar ou marcar o criador original. Isso também pode envolver a reprodução de ideias, conceitos ou desafios populares sem atribuir os devidos créditos.
  4. Facebook: No Facebook, o kibar pode acontecer de maneiras semelhantes a outras plataformas. Pode envolver a cópia de posts, fotos ou vídeos compartilhados por outras pessoas e publicá-los em sua própria linha do tempo, sem dar os créditos adequados.

Em todas essas plataformas, é importante lembrar que kibar é considerado uma prática antiética e desrespeitosa, pois viola os direitos autorais e não reconhece o trabalho e a criatividade dos autores originais. É fundamental respeitar os direitos dos criadores de conteúdo, dar os créditos adequados e obter permissão quando necessário antes de compartilhar algo na internet.

Seu site foi kibado?

Kibar o conteúdo de outro site refere-se à prática de copiar ou reproduzir integralmente o conteúdo de um site sem a permissão do autor original ou sem fornecer os devidos créditos. Isso pode incluir textos, imagens, vídeos, áudios ou qualquer outro tipo de material protegido por direitos autorais.

Se você identificar um caso onde “kibaram” seu conteudo nos resultados do Google, você pode seguir as etapas do nosso tutorial: Como denunciar plágio ao Google.

Consequências e Combate ao Kibar

Kibar conteúdos na internet é uma prática que pode acarretar diversas consequências negativas. Além de ferir os direitos autorais, o kibador pode enfrentar ações legais, como processos por violação de propriedade intelectual. Além disso, a reputação do kibador pode ser prejudicada, pois a comunidade online tende a rejeitar e denunciar atos de plágio.

Para combater o kibar, é essencial promover a conscientização sobre a importância do respeito aos direitos autorais e incentivar a atribuição correta dos créditos aos criadores de conteúdo. Os usuários da internet devem sempre se esforçar para compartilhar informações de maneira ética, respeitando os direitos de propriedade intelectual e promovendo uma cultura de originalidade e reconhecimento.

Em suma, “kibar” é uma gíria que descreve a ação de copiar conteúdos na internet sem dar créditos aos autores originais. Embora o termo não tenha uma origem certa, sua prática e repúdio são amplamente reconhecidos em diversos espaços online. Respeitar os direitos autorais e atribuir créditos corretamente são aspectos essenciais para promover um ambiente digital mais ético e colaborativo.

Marcus é o fundador da Seletronic. Além disso, é programador, e editor no site. Ama ajudar as pessoas a resolverem problemas com tecnologia, por isso criou esse site. Segundo ele: "A tecnologia foi feita para facilitar a vida das pessoas, então devemos ensinar a usá-la". Apesar de respirar tecnologia, ama plantas, animais exóticos e cozinhar.
Menu Explore o conteúdo!
Dark Mode