Imagem de Amazon Logistics chega ao Brasil como concorrente dos Correios e está procurando parceiros de logística
0

Assim como já faz no EUA a Amazon deseja usar seu proprio serviço de transporte, mas sem substituir completamente o uso de outros serviços de entrega. Por isso a Amazon se prepara para lançar a Amazon Logistics no Brasil, que com toda certeza será uma concorrente dos Correios, Loggi e outros serviços de entrega.

Vale lembrar que o Mercado Livre, também reduziu o uso de outros serviços de entrega de 90% para 20% em três anos, usando seu serviço proprio Mercado Envios.

Alem disso antes de começar a empresa está procurando pessoas para trabalhar com ela no ramo de logística.

Buscando parceiros de negócio

Atualmente a companhia está procurando parceiros que queiram atuar na area de logística, tendo ou não experiencia, com foco em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília.

Em sua página a empresa diz: “Estamos procurando líderes “mão na massa” que sejam apaixonados por montar e coordenar redes de entregadores. Com baixos custos iniciais, demanda integrada e acesso à experiência em tecnologia e logística da Amazon, esta é uma oportunidade de construir e desenvolver um negócio de entrega de encomendas bem-sucedido. Junte-se a comunidade da Amazon Logistics em um dos setores de crescimento mais rápido do mundo.

O investimento segundo a Amazon é com “Baixos custos iniciais” onde você pode começar com R$ 45.000. Não é necessário ter experiência em logística e ainda terá toda sua tecnologia, com base em processos baseados em mais de 20 anos de experiência em logística para você montar e administrar seu negócio de entrega se concentre-se nos seus fornecedores, e não nas vendas.

Para começar você pode acessar a página oficial para maiores informações aqui: https://logistics.amazon.com.br/

Mais concorrência melhores preços?

Não é novidade no mundo comercial que a concorrência pode obrigar outros serviços a melhorarem e abaixarem seus preços. Será que com o lançamento da Amazon Logistics no Brasil, veremos preços mais baixos de entrega?